O juiz Sergio Moro, responsável pela Lava Jato em primeira instância, começa a ouvir nesta segunda-feira testemunhas no processo em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é acusado de ser o real proprietário de um sítio em Atibaia, no interior de São Paulo, e ter sido beneficiado por reformas orçadas em cerca de R$ 1 milhão, feitas pelas construtoras OAS e Odebrecht entre o fim de 2010, quando ele ainda ocupava a Presidência da República, e 2014.

Segundo o Yahoo! Notícias, na denúncia, o Ministério Público Federal diz que o petista é o “proprietário de fato” do sítio. Para chegar a essa conclusão, os procuradores indicam desde objetos pessoais do ex-presidente da ex-primeira dama encontrados no imóvel até pedalinhos com os nomes dos netos do petista.

A defesa de Lula nega que o sítio seja do petista e alega que não existe qualquer elemento que permita cogitar que ele praticou algum crime.

Nesta tarde do dia 05/02, Moro ouve o ex-marqueteiro do PT João Santana e a mulher e sócia dele, Mônica Moura, como testemunhas de acusação no processo sobre o sítio de Atibaia. Além deles, o ex-gerente da área Internacional da Petrobras, Eduardo Musa, também será ouvido.

COMPARTILHAR
Contrate Miguel Daoud para seu evento. Palestrante de política e economia com especialização em agronegócio. Formado pela Escola Superior de Administração de Negócios pela Universidade Católica de São Paulo - PUC. Apresentador e comentarista com experiência televisiva em emissoras como Canal Rural, Rede Globo e Globo News. Saiba mais em http://migueldaoud.com.br.