Se compararmos os preços dos alimentos de forma global, é possível observar uma tímida queda em novembro ante outubro. Mesmo alguns alimentos como açúcar e vegetais apresentando alta nas cotações, os valores foram “compensados” pela queda dos lácteos. As informações foram divulgadas pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).

O órgão possui um índice de preços, este mede as variações mensais que produtos como cesta de cerais, oleaginosas, produtos lácteos, carne e açúcar, e através disso conseguiu-se notar que tais produtos alcançara uma média de 175,8 pontos em novembro, o que significa uma queda de 0,5% ante outubro. Já na comparação anual, os preços ficaram 2,3% mais elevados.

Para a FAO, as culturas ou commodities, saíram do período em que apresentaram uma forte volatilidade, assim, a Organização diz esperar que tal comportamento permaneça assim também na próxima década. Além disso, elevou-se a previsão quanto a produção global de cereais em 2017, chegando ao número de 2,627 bilhões de toneladas, fazendo assim com que ficasse 16,8 milhões de toneladas acima do nível do ano passado, empurrando os suprimentos mundiais para o maior nível da história. Outro produto que também teve sua previsão mundial elevada foi o trigo.

COMPARTILHAR

Estudante de Publicidade e Propaganda, pronta para novos desafios e buscando trazer sempre o melhor conteúdo para os leitores.