As previsões de clima mais instável se confirmaram no fim de semana em importantes áreas produtoras de soja e milho dos Estados Unidos, com registro de fortes chuvas no Corn Belt e geada e neve em lavouras do estado de Kansas. Essas condições, segundo analistas e agências internacionais, acendem a possibilidade de replantio e até atraso no plantio da soja e milho, o que movimenta o mercado das commodities.

“Todo o complexo sobe com chuvas acima do previsto e da média nos EUA no fim de semana, inclusive com algumas áreas inundadas com um pouco mais de chuva chegando, o que pode atrasar o plantio americano”, disse o Étore Baroni, consultor da INTL FCStone. As precipitaç]oes chegaram a exceder os 100 milímetros em estados como o Kansas, Illinois, Indiana e Missouri.

Nesta tarde de segunda-feira (1º), por volta das 12h30, a soja tinha ganhos de cerca de 1,5% (10 pontos), cotada a US$ 9,70 por bushel no vencimento maio/17, o milho subia pouco mais de 2,50%, a US$ 3,76 por bushel no mesmo vencimento, enquanto o trigo avançava cerca de 4,50%, a US$ 4,51 por bushel, acompanhando o frio que atingiu áreas produtoras. As perdas dotrigo podem chegar a 40%, segundo agências de notícias.

Esse é o mês mais importante para o avanço do plantio da soja nos Estados Unidos. Segundo o analista de mercado da Labhoro Corretora, Ginaldo de Souza, as fortes chuvas que caíram no Meio-Oeste amerciano, causando alguns alagamentos, podem sem dúvida provocar replantio.

No milho, vale a mesma coisa. Até domingo (21), em torno de 17% da área prevista de milho para essa temporada havia sido cultivada, segundo dados do boletim de acompanhamento de safras do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos).

De acordo com boletim da consultoria AgResource, o clima mais instável já era especulado pelos operadores em Chicago na semana passada. “O mercado agora opera em especulações sobre oscilações climáticas para os Estados Unidos e clarificações sobre o padrão climático para o Cinturão Agrícola norte-americano para meados de maio, quando a soja estará sendo plantada na maioria do país”, explicou.

Informações reportadas pelo site internacional Agrimoney dão conta que as chuvas devem continuar em áreas produtoras dos EUA nos próximos dias. “Espera-se que um sistema de tempestade significativo se desenvolva nas planícies Centrais nos próximos dois dias, o que espalhará fortes chuvas para as planícies Central e Oriental”, disse Don Keeney, do MDA Weather Services.

Previsão de chuva para os próximos 3 dias - Fonte: NOAA

Radar meteorológico mostra expressivo volume de chuvas sobre o Corn Bealt – Fonte: NOAA

Geada em áreas de trigo dos EUA

Danos causados pelo frio, com geadas e neve em áreas produtoras de trigo dos Estados Unidos, como Kansar, maior estado produtor da commodity, fizeram com que o mercado testasse ganhos de seis semanas, com altas de mais de 2% nesta segunda-feira (1º). Com isso, os operadores na Bolsa, segundo agências internacionais, já estão preocupados que essa condição climática afete a produção global de grãos.

“Com a geada em Kansas, Colorado e até mesmo se estendendo até Oklahoma, o mercado está preocupado com quanto da cultura foi danificada”, disse Andrew Woodhouse, analista de grãos da Advance Trading Australasia, em referência a queda do trigo. Esses estados são próximos de Iowa, maior origem produtora de soja dos EUA